Sexta-feira, 18 de Maio de 2007

JOÃO GARCIA

 VOAR

Quem nunca sonhou voar, como uma águia-real, sobre os Himalaias ou, como um condor, sobre os Andes? Ou dançar como Margot Fonteyn ou escalar como João Garcia?  Será que não é tudo a mesma coisa?  

 

 O ponto mais alto da Terra é o Monte Evereste, na cordilheira dos Himalaias, na fronteira entre o Nepal e o Tibete.

 

 

 

 

             O Condor dos Andes

 

 

O alpinista João Garcia nasceu em Lisboa, em 1967. Toda a sua actividade profissional está ligada ao alpinismo. Além das escaladas que já realizou, é organizador de expedições e excursões de aventura e lançou o livro "A mais alta solidão", onde retrata alguns dos acontecimentos mais dramáticos da sua vida.
A sua paixão pelas escaladas começou quando foi pela primeira vez, com 15 anos,  à Serra da Estrela.
A sua primeira ida aos Alpes intensifica e solidifica essa paixão. E a colocação, na Bélgica, numa comissão de serviço no Quartel Supremo das Forças Aliadas deu-lhe oportunidade para desenvolver a sua actividade nos Alpes, dada a proximidade geográfica destes.
A partir deste momento, a sua actividade de alpinista intensifica-se e começa aqui a sua preparação para as escaladas acima dos 7.000m e o começo dos desafios que haveriam de surgir na sua vida.

Recebeu a medalha de Mérito Desportivo por ser o primeiro português a atingir o cume do Evereste, a 8.848m de altitude, no dia 18 de Maio de 1999, aos 31 anos de idade.

publicado por Elisabete às 22:04
link do post | comentar | favorito
|

*mais sobre mim

*links

*posts recentes

* QUINTA DE BONJÓIA [PORTO]

* POMPEIA: A vida petrifica...

* JOSÉ CARDOSO PIRES: UM ES...

* PELA VIA FRANCÍGENA, NO T...

* CHILE: O mundo dos índios...

* NUNCA MAIS LHE CHAMEM DRÁ...

* ARTUR SEMEDO: Actor, galã...

* COMO SE PÔDE DERRUBAR O I...

* DÉCIMO MANDAMENTO

* CRISE TRAZ CUNHALISMO DE ...

* O CÓDIGO SECRETO DA CAPEL...

* O VOO MELANCÓLICO DO MELR...

* Explicação do "Impeachmen...

* CAMILLE CLAUDEL

* OS PALACETES TORNAM-SE ÚT...

* Tudo o que queria era um ...

* 1974 - DIVÓRCIO JÁ! Exigi...

* Continuará a Terra a gira...

* SETEMBRO

* SEM CORAÇÃO

* A ESPIRAL REPRESSIVA

* 1967 FÉ DE PEDRA

* NUNCA MAIS CAIU

* Alfama é Linda

* Por entre os pingos da ch...

* DO OUTRO LADO DA ESTRADA

* Não há vacina para a memó...

* Um pobre e precioso segre...

* Nada para mim. Portugal.

* Seis anos de divinos torm...

*arquivos

* Maio 2017

* Abril 2017

* Março 2017

* Fevereiro 2017

* Janeiro 2017

* Setembro 2016

* Junho 2016

* Abril 2016

* Novembro 2015

* Setembro 2015

* Agosto 2015

* Julho 2015

* Junho 2015

* Maio 2015

* Março 2015

* Fevereiro 2015

* Janeiro 2015

* Dezembro 2014

* Fevereiro 2014

* Janeiro 2014

* Dezembro 2013

* Novembro 2013

* Setembro 2013

* Agosto 2013

* Julho 2013

* Junho 2013

* Maio 2013

* Abril 2013

* Março 2013

* Fevereiro 2013

* Janeiro 2013

* Dezembro 2012

* Novembro 2012

* Outubro 2012

* Setembro 2012

* Agosto 2012

* Julho 2012

* Maio 2012

* Abril 2012

* Março 2012

* Janeiro 2012

* Dezembro 2011

* Novembro 2011

* Outubro 2011

* Setembro 2011

* Julho 2011

* Maio 2011

* Abril 2011

* Março 2011

* Fevereiro 2011

* Janeiro 2011

* Dezembro 2010

* Novembro 2010

* Outubro 2010

* Agosto 2010

* Julho 2010

* Junho 2010

* Maio 2010

* Abril 2010

* Março 2010

* Fevereiro 2010

* Janeiro 2010

* Dezembro 2009

* Novembro 2009

* Outubro 2009

* Setembro 2009

* Julho 2009

* Junho 2009

* Maio 2009

* Abril 2009

* Março 2009

* Fevereiro 2009

* Janeiro 2009

* Dezembro 2008

* Novembro 2008

* Outubro 2008

* Setembro 2008

* Agosto 2008

* Julho 2008

* Junho 2008

* Maio 2008

* Abril 2008

* Março 2008

* Fevereiro 2008

* Janeiro 2008

* Dezembro 2007

* Novembro 2007

* Outubro 2007

* Setembro 2007

* Agosto 2007

* Julho 2007

* Junho 2007

* Maio 2007

* Abril 2007

* Março 2007

* Fevereiro 2007

*pesquisar