Domingo, 30 de Novembro de 2008

LUTAR... Sempre!!!

 GREVE NACIONAL DE PROFESSORES
 3 DE DEZEMBRO DE 2008 - 4ª FEIRA

 

NÃO PODEMOS BAIXAR OS BRAÇOS !

 

As notícias do Governo e do ME atentam à desmobilização da Greve!
No dia 3 juntem-se e escolham os vossos representantes para o Encontro Nacional de Escolas em Luta a decorrer no dia 6!

A adesão tem sido enorme! De Norte a Sul do país teremos os representantes de escolas com vontade de concertar esforços!
Apelamos aos agrupamentos que ainda não fizeram a sua inscrição que o façam rapidamente!
A inscrição deverá ser feita para o endereço
eneluta@gmail.com com: nomes de 2 participantes / escola / telemóvel

Recordamos que o local do Encontro é em LEIRIA, no TEATRO JOSÉ LÚCIO DA SILVA, entre as 10h e as 17h.
Sublinhamos que uma das intenções deste Encontro é canalizar as energias adquiridas na luta contra o modelo de avaliação para derrubarmos o Estatuto da Carreira Docente.

 

 TODOS JUNTOS POR UMA GREVE TOTAL

 DOS PROFESSORES E EDUCADORES
 PARTICIPA ACTIVAMENTE !

 

Movimento Professores Revoltados  Integra a  A.P.E.D.E. desde a sua formação!


 
AGENDA DE LUTA :

 

3 Dezembro - Greve Nacional dos Educadores e Professores

 

4/5 Dezembro - Vigília permanente no Ministério da Educação

 

6 Dezembro - Encontro Nacional de Escolas em Luta (Leiria, 10h, Teatro José Lúcio da Silva)


9 Dezembro - Greve região Norte


10 Dezembro - Greve região Centro


11 Dezembro - Greve região Grande Lisboa


12 Dezembro - Greve região Sul

 

19 Janeiro - Nova Greve Nacional

publicado por Elisabete às 21:06
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Sábado, 29 de Novembro de 2008

EDUCAÇÃO

Textos a ler:

 

1

mobilizacaoeunidadedosprofessores.blogspot.com/2008/11/ns-vamos-ganhar.html

 

2

movimentoprofessoresrevoltados.blogspot.com/2008/11/exmo-senhor-presidente-da-repblica.html

 

3

correntes.blogs.sapo.pt/176412.html

 

 

publicado por Elisabete às 16:39
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|
Quinta-feira, 27 de Novembro de 2008

Porque o presente é herdeiro do passado

Aproveito o aniversário da concessão do Foral para homenagear o Teatro Municipal da Guarda (TMG), pelo trabalho que desenvolve, na cidade, e de que aqui deixo um feliz exemplo: a edição de PARA SEMPRE... talvez não. Escrito por seis jovens [Ana Rita Costa, Filipa Almeida, Joana Romano, Lara Monteiro, Maria João Lopes e Rita Dinis] que, assumindo-se como personagens, nos dão conta das suas dúvidas, amores, angústias, erros, desilusões e esperanças no futuro.

Já falei desta publicação há tempos e parece-me que seria interessante a implementação, nas nossas Escolas Secundárias, de projectos deste género. Motivariam, sem dúvida, os alunos para a leitura e, porque não?, para a escrita.

 

 

 

Não suporto…
Definitivamente não suporto esta interminável mania de a tarde suceder à manhã. Devia antes alternar com a noite. A tarde é nostálgica… não tem a magia da noite nem a pureza da manhã… definitivamente não gosto da tarde.
Ainda por cima aquele telefonema da Inês para a irmã deixou-me preocupada. Sinto que algo não está bem com ela. Identifico-me com a minha filha mais velha, ela é igual a mim. Se ao menos tivesse falado com ela, talvez lhe pudesse ser aconselhado alguma leitura, uma exposição, um espectáculo… enfim, algo que simplificasse alguma complexidade que deve estar a viver sem motivo!
Não! Decididamente não estou preparada para fazer nada para jantar. Peço uma pizza. Dá-me sempre a sensação que este queijo linear, filamentoso e branco é etéreo… puro… simboliza a vida e a sua continuidade. Com algum jeito consegue-se prolongar quase indefinidamente sem partir… o queijo… a vida também. É preciso sensibilidade apenas! A chave é essa… sensibilidade e sentidos apurados. Aquele marido do qual me restam duas filhas… sempre tão pragmático… tão terreno e, no entanto, foi capaz de ir-se embora para sempre… morrer sem dizer nada! Uma igual a mim, impulsiva, seguiu uma ideia e foi-se sem estar ainda preparada, antes de eu poder moldar alguma coisa nela; esta mais nova, tão diferente… nega tudo o que eu aceito!
Apesar de tudo faz-lhes falta o pai… aquele homem mais marmóreo que a pedra que está no atelier para ser trabalhada!
Aí está a chave de novo. Preciso de uma dose de sonho e sensibilidade… preciso do atelier! Sim, vou esculpir um pouco mais, acabarei por conseguir retratar o espírito do amor na pedra ainda em bruto. É urgente objectivar o amor; preciso de ideias!
Aquela conversa com fim abrupto deixou-me perdida. Gosto da continuidade… no queijo como na vida… um fio de sensibilidade que podemos estender até encher o mundo.
Passo na casa de banho para apanhar o prozac e olho-me ao espelho. Cinquenta e sete quilos de intemporalidade… acho que preciso de perder um pouco de peso, apesar de dizerem que não. Toda a gente me acha exótica! Como se isso fosse uma virtude! Será que confundem exotismo com comunhão natural? Que tem de exótica a forma como me visto? Será que não vêem que é na simplicidade das minhas túnicas de linho que se encontra a verdadeira expressão natural? Se me deixassem andava nua! Já o fiz várias vezes encerrada no atelier do sótão… é tão fácil dar expressividade aos sentimentos quando não há tabus, barreiras físicas, crítica social.
As coisas são como são que diabo! Criar não é amar… é manifestar necessidades! Aquele homem sempre fez amor comigo… como se isso existisse… nunca lhe chegou o facto de ter sexo, as filhas que me deixou vão viver sempre de ideais, não fora isso e a Inês não se ligaria a uma relação daquelas. Sai de casa para viver com um homem como se num homem fosse possível encontrar a eternidade! A eternidade está na natureza. Só isso!
Dizem que tenho uma cara pura, angélica e pensam que os traços do rosto fazem de mim uma mulher bonita! Ignorantes… superficiais. Não dão conta que eu sou os meus ideais e não este corpo. O cúmulo dos existencialistas traduziu-se naquela frase do pai das minhas filhas, nunca mais esquecerei aquilo que me disse depois de uma tarde de sexo. Na altura, fingi que me agradava aquele “Tens um corpo de sereia numa cara de anjo, devias ser modelo e não modelar estátuas”…!!!
Se calhar foi aí que deixei de gostar das tardes!
Como vou mudar a Maria? Herdou do pai as coisas terrenas. Abomina aquilo de que eu gosto por não poder ser como eu sou? Adoro-a, mas não sei explicar-lhe o que é o amor. Nem isso interessa… acredito é na pureza do linho e na frieza do mármore. Conversei sobre o sexo com as minhas filhas e não entenderam que essa é a relação verdadeiramente natural e espiritual. Queriam ouvir falar de amor… mais um produto da paternidade genética!
Acho que hoje um prozac não me chega. Talvez um pouco de música… sons naturais. Vou colocar um DVD do Andrey Cechelero – talvez “A última chuva” me dê uma ajuda.
 
in "PARA SEMPRE, talvez não

 

________________________

Contactos do Teatro Municipal da Guarda

 www.tmg.com.pt

Rua Batalha Reis, nº 12

6300-668 GUARDA  / PORTUGAL

Tel. 271 205 240 / Fax 271 205 248

 

 

publicado por Elisabete às 16:17
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
|
Quarta-feira, 26 de Novembro de 2008

1.º Foral da Guarda

Guarda.Estátua de D. Sancho I

 

Contrariamente ao que se diz, D. Sancho I não foi, propriamente, o fundador da Guarda, uma vez que a povoação já existia, aquando da independência de Portugal, sendo os seus subúrbios igualmente habitados.
Foi, isso sim, fundador da Guarda como cidade (concedendo-lhe o 1º Foral e elevando-a à categoria de cidade) e como sede de Diocese (conseguindo que a Diocese Egitaniense fosse transferida da Idanha para a Guarda). Foi, ainda, seu repovoador e protector.
 
Registo original da chancelaria Afonsina onde se confirma o foral da Guarda
 
O 1º foral da Guarda, classificado como salamantino ou perfeito, foi concedido pelo Rei Povoador, em 26 de Novembro de 1199, faz hoje 809 anos.
 
publicado por Elisabete às 18:40
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

Ler nas entrelinhas... ou a queda da máscara

 

 

Sempre dissemos que a política do Ministério da Educação, em relação aos Professores, era meramente economicista.

A Ministra e os seus acólitos tentaram, sempre, fazer passar a imagem de preocupação com a qualidade do Ensino, culpando os Professores do estado calamitoso a que chegámos. Foi visível, no discurso de Jorge Pedreira (Prós e Contras), a preocupação em lançar para cima dos Professores o ónus do insucesso dos alunos.

 

Agora, criam duas espécies de avaliação para os docentes:

 

- a obrigatória, que avalia o aspecto organizacional (seja lá o que for este palavrão);

- a voluntária, que avaliando a componente científico-pedagógica, permite o acesso às classificações de Muito Bom e Excelente e, dependendo das cotas, à progressão na carreira.

 

Como se vê, o aspecto científico-pedagógico é irrelevante para o ME. A condição obrigatória, para se ser Professor, é, apenas e só, ser satisfatório no aspecto organizacional. 

 

Ainda acreditam que eles se preocupam com a qualidade do Ensino?

Eu não. Penso é que a senhora Ministra deseja:

- poupar dinheiro, continuando a impedir a progressão à maioria dos Professores;

- elevar artificialmente os níveis de sucesso dos alunos, usando Professores organizadinhos e amestrados que, baixando obedientemente a cabeça e tapando os olhos, abdiquem da sua obrigação de ser exigentes, também eles, no aspecto científico. No extremo e comparativamente, importante será a organização do portefólio e do caderno diário do aluno e não os conhecimentos e preparação científica que possa ter.

 

Se deixarmos... que futuro nos espera?

 

publicado por Elisabete às 17:20
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Terça-feira, 25 de Novembro de 2008

Hoje, no NORTE, foi assim

No PORTO

 

 

 

Os professores regressaram, esta terça-feira, aos protestos de rua. Milhares de docentes manifestaram-se em várias regiões do Norte do País. "Os professores já cá estão outra vez", era a frase de um cartaz exibido por um docente na manifestação da Praça da Liberdade, no Porto.

Mário Nogueira, líder da Fenprof, voltou a reiterar, no discurso que realizou no Porto, que apenas a suspensão do processo de avaliação voltará a trazer tranquilidade às escolas. 

Em Viana do Castelo, apesar do frio que se fazia sentir, mais de meio milhar de professores concentraram-se na Praça da República, onde aguardaram a chegada de mais docentes para se iniciar a marcha até à Câmara Municipal de Viana do Castelo percorrendo toda a Avenida dos Combatentes, uma das principais artérias da cidade, com bandeiras, tarjas e cartazes exigindo a suspensão do sistema de avaliação.

Também na Praça Cavaleiro Ferreira, em Bragança os manifestantes concentraram-se para exigir a suspensão do processo de avaliação de desempenho. José Domingues, da Plataforma Sindical dos Professores, disse, ao JN, que  praticamente "todos os professores do distrito", cerca de 2000, saíram à rua esta terça-feira.

Já em Vila Real, cerca de três mil professores protestaram contra o modelo de avaliação, na Praça do Município, após se terem concentrado na Escola Secundária de São Pedro. De Chaves, saíram vários autocarros transportando docentes para esta manifestação.

Após as concentrações, os representantes dos professores entregaram aos respectivos governos civis um documento reivindicativo.

Amanhã é a vez da região Centro, com manifestações marcadas para Aveiro, Castelo Branco, Coimbra, Guarda, Leiria, Viseu e Lamego, enquanto quinta-feira os protestos realizam-se em Lisboa, frente ao Ministério da Educação, Setúbal, Santarém e Caldas da Rainha. A semana de protestos termina sexta-feira, com manifestações em Portalegre, Évora, Beja e Faro.

A luta dos professores segue na próxima semana, com uma greve nacional a 3 de Dezembro e uma vigília de 48 horas nos dois dias seguintes na Avenida 5 de Outubro, em Lisboa, à porta do ME.

 

Jornal de Notícias on-line

 

 

publicado por Elisabete às 22:41
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 24 de Novembro de 2008

Vale a pena ler

4.bp.blogspot.com/_OMtWm-MERDM/SShZbm9zGvI/AAAAAAAAA9E/Vl7AtAUr3jk/s1600-h/sao_jose_almeida.bmp

 

 

De forma correcta, lúcida e clara, São José Almeida escreve, no Público, o óptimo texto E depois da maré vazar?,  sobre o confronto Professores/Ministério da Educação.

 

É só clicar...

publicado por Elisabete às 19:22
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

Guerras civis e outras barbaridades

Até os Professores aposentados dizem presente

 

O jornalista Rafael Barbosa, no seu artigo de opinião O povo não gosta de guerras civis (Jornal de Notícias de hoje), reduz a luta travada pelos Professores (contra o Estatuto da Carreira Docente e o seu Modelo de Avaliação) a uma simples guerra entre Lurdes Rodrigues e Mário Nogueira.

 

O senhor jornalista anda mal informado e desatento. De outro modo, saberia que:
 
1º Pela primeira vez, todos os Sindicatos de Professores, e não só os da FENPROF de Mário Nogueira, estão unidos nesta luta que pretendem levar até ao fim;
 
2º Existem movimentos autónomos, que dão voz ao descontentamento da grande maioria dos Professores e que, estou certa, não baixarão os braços, no caso de os Sindicatos fazerem um acordo que não obtenha a aprovação dos docentes;
 
3º Os Professores estão fartos de serem humilhados e menosprezados, desde há anos, em especial por esta Ministra. Ou já esqueceu da forma ignóbil como Lurdes Rodrigues tentou denegrir os Professores, logo no início do seu mandato?
 
Felicito-o pelos seus conhecimentos da História de Roma, mas lamento a ignorância que revela das causas e da justiça desta luta que os Professores travam pela sua dignidade profissional e por uma Escola Pública de qualidade.
 
Dir-me-á que há Professores que aceitam, sem protestar, as regras vindas "de cima". Com certeza. Como em todas as profissões, nesta também há quem seja presa da ambição (esperando sempre ganhar qualquer coisinha), do medo ou do comodismo.
Felizmente, por esta vez, não passam de uma minoria pequenininha.
E vivemos numa Democracia... Ou não?
publicado por Elisabete às 17:04
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Domingo, 23 de Novembro de 2008

Ainda a procissão vai no adro...

 

 

Encontro Nacional de Escolas em Luta          
 
 6 de Dezembro Leiria   Teatro José Lúcio da Silva das 10h00 às 17h00 
 
 Em cada escola dois representantes 
 
 
 Inscrição: Para o endereço de e-mail 
                        eneluta@gmail.com      
                  com: nomes dos participantes/escola/telemóvel 
 
 
Vamos canalizar as energias adquiridas na luta contra o modelo de avaliação para derrubarmos o Estatuto da Carreira Docente!
 
 
 Movimento Professores Revoltados Integra a A.P.E.D.E. desde a sua formação!
 
 
 
AGENDA DE LUTA
 
          Plenários do MOVIMENTO ESCOLA PÚBLICA
 
24 Novembro Porto (19h, pavilhão 2 da ESMAE, ex-Escola do Magistério Primário, Rua Alegria, 503)
24 Novembro Viseu (hora e local a confirmar aqui)
 
          Manifestações regionais
 
25 Novembro - Norte
26 Novembro - Centro
27 Novembro - Grande Lisboa
28 Novembro - Sul
 
           Greves
 
3 Dezembro - Greve Nacional dos Educadores e Professores
9 Dezembro - Greve região Norte
10 Dezembro - Greve região Centro
11 Dezembro - Greve região Grande Lisboa
12 Dezembro - Greve região Sul
19 Janeiro - Nova Greve Nacional
 
           Vigília
 
4/5 Dezembro - Vigília permanente no Ministério da Educação
 
           Encontro de Escolas
 
6 Dezembro - Encontro Nacional de Escolas em Luta (Leiria, 10h, Teatro José Lúcio da Silva)
 
 Movimento Professores Revoltados Integra a A.P.E.D.E. desde a sua formação!

 

publicado por Elisabete às 23:31
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Sexta-feira, 21 de Novembro de 2008

A importância da Memória

 

Se queres caminhar para o futuro
tens de olhar para o passado.
 
[…]
Sem memória não há ideias, sem ideias não há pensamento, sem pensamento não há criatividade e sem criatividade não há futuro.
Agora as pessoas, sobretudo os que nos governam, estão perversamente a apagar a memória e a vender o seu peixe. É por esta razão que os grandes criadores portugueses estão a dar grande importância à memória.
[…]
A Direita endeusou, a Esquerda simbolizou o Deus do bem e do mal, mas o político tem apenas de ser reduzido à sua condição humana. A maior parte dos nossos políticos, jovens, dinâmicos e pós-modernos ainda não repararam que estão todos no séc. XIX e não no séc. XXI. Enquanto isto, o grosso das pessoas recusa pensar, sonhar e agarra-se à sua existência como se não houvesse vida paralela. Há medo, nunca vi tanto medo no meu país.
 
Fernando Dacosta
Jornal de Notícias [21.Nov.2008]
publicado por Elisabete às 11:41
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Quinta-feira, 20 de Novembro de 2008

A NOVA TORRE DE BABEL

 

 

[O Senhor] surpreendido com a capacidade dos homens e temendo não haver limites para a sua ousadia, decidiu diferenciar a língua em diferentes línguas para que uns não entendessem os outros.

Génesis, 11

E a confusão  enlouqueceu  os homens... destruindo-os. 

publicado por Elisabete às 23:47
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Quarta-feira, 19 de Novembro de 2008

Encontro de Escolas: Leiria, 6 de Dezembro

 

 

ENCONTRO NACIONAL DE ESCOLAS EM LUTA
 
A APEDE e o MUP vêm anunciar uma iniciativa conjunta: a realização de um «Encontro Nacional de Escolas em Luta» para o próximo dia 6 de Dezembro, em Leiria, no Teatro José Lúcio da Silva. O Encontro terá início às 10h e prolongar-se-á até às 17h, com intervalo para o almoço.
Apelamos a que todas as escolas que estão a desenvolver processos de resistência, nomeadamente através da suspensão da avaliação do desempenho, escolham dois representantes para participarem nesse Encontro.

Colegas,

A VOSSA PARTICIPAÇÃO NO ENCONTRO NACIONAL DE ESCOLAS EM LUTA É FUNDAMENTAL, SE QUISERMOS APROVEITAR TODA A ENERGIA CRIADA EM TORNO DA LUTA CONTRA O MODELO DE AVALIAÇÃO PARA COMBATERMOS TAMBÉM O ESTATUTO DA CARREIRA DOCENTE. É aí que devemos concentrar, doravante, todos os nossos esforços. Precisamos, pois, de reflectir em conjunto sobre as formas de luta e as acções mais adequadas para derrubar, a partir das nossas escolas, o Estatuto da Carreira Docente. Esse é o principal objectivo do Encontro que queremos promover.


Inscrições e informações através do e-mail eneluta@gmail.com
As inscrições dos participantes devem conter os seguintes elementos: nome, escola, contacto telefónico.
publicado por Elisabete às 16:24
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

O direito de atirar a albarda ao ar

 

 

 

Se os sacrificam, cometem uma acção bárbara, e eles estão no direito de se levantar por todos os meios contra tal política.

 

Aquilino Ribeiro, Quando os Lobos Uivam

 

 

 

Parece-me que faria bem à Senhora Ministra Lurdes Rodrigues ler o Mestre Aquilino. É que até os burros atiram a albarda ao ar, quando perdem a paciência. E ao mais põem-lhes antolhos...

 

 

publicado por Elisabete às 15:29
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|
Terça-feira, 18 de Novembro de 2008

Cuidado com os alçapões!

 

 

"Jurassik Park"
 
Começa a ser fastidioso falar da ministra da Educação. Afinal de contas, como Brecht diria, o Sol nasce todos os dias sem querer saber dela, o trigo cresce nos campos, as estações sucedem-se. Mas que pode fazer o pobre cronista, se ela se tornou, se calhar contra a sua vontade, o lamentável protagonista do filme hoje mais visto em todas as salas do país? Desta vez, a crer na TSF, Lurdes Rodrigues “reconheceu segunda-feira a dificuldade das escolas na aplicação do processo de avaliação dos professores” e já “admite alterar o sistema”.
Durante o fim-de-semana, o argumentista ter-lhe-á escrito novos diálogos, pois ainda no sábado ela garantia no “Expresso” que não se passava nada. A explicação da inesperada evolução tem, tudo o indica, 150 anos, que se comemorarão em 2009, ano de eleições. E, como Darwin mostra em “A origem das espécies”, o processo evolutivo de selecção natural implica que só organismos (incluindo ministros e maiorias) capazes de adaptar-se ao ambiente (e, no caso, que ambiente!) tendem a sobreviver. Resta saber se se trata de adaptação ou só de aclimatação ao tempo que faz.
 
Manuel António Pina

JN, Por Outras Palavras [18Nov2008]

publicado por Elisabete às 11:31
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Segunda-feira, 17 de Novembro de 2008

Da importância da Avaliação à desconfiança nas instituições

 

 

A Avaliação dos Professores está na ordem do dia. De repente, todos desatam a falar da necessidade absoluta dos Professores serem avaliados, estejam ou não a par do que isso significa. Em primeiro lugar, é preciso esclarecer que existe, há anos, um Modelo de Avaliação usado em todas as escolas. Não é perfeito? Claro que não. Mas o que o Ministério da Educação quer implementar, agora, parece bem pior: extremamente burocrático e injusto, afasta os docentes da sua principal função que é ensinar (palavra banida pelos pseudopedagogos que por aí andam) e afasta os docentes uns dos outros, ao criar hierarquias sem sentido, tão ao gosto dos que gostam de se sentir importantes e dos governantes que adoram dividir para reinar.
Muitas destas vozes levantam-se por inveja: se nós somos avaliados…; outras por estreiteza de vistas: não podem conceber que há grupos profissionais mais fáceis de avaliar do que outros; quanto ao Governo… quer alterar a avaliação dos Professores (entre outras medidas) para ocultar a sua incapacidade de resolver os verdadeiros problemas da Educação ou porque não acredita na formação dada pelas Universidades e Institutos Superiores aos futuros Professores?
Será assim tão importante a existência de um Modelo de Avaliação? Ainda há horas soube, pela televisão, que em países como o Luxemburgo, a Finlândia e a Holanda (se a memória me não atraiçoa) não existe qualquer sistema de avaliação de Professores.
Mesmo correndo o risco de ser politicamente incorrecta, parece-me que mais importante do que andar a avaliar o trabalho de professores com 20 e 30 anos de carreira, melhor seria que a ministra se preocupasse em propiciar uma formação de base de alta qualidade aos futuros professores. E, já agora, em encontrar mecanismos capazes de colmatar algumas das eventuais lacunas sentidas pelos docentes mais jovens, vítimas também eles das práticas pedagógicas utópicas e facilitistas dos últimos anos.
O mais engraçado disto tudo é que esta avidez de avaliação, de tudo e de todos, coincida com o desprezo total pela avaliação séria dos alunos, que quase só precisam de frequentar a escola para obter o seu diploma no final. Isto para não falar das Novas Oportunidades que distribuiu diplomas à pressão.

 

publicado por Elisabete às 16:49
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Sábado, 15 de Novembro de 2008

NÃO DESISTIR!

publicado por Elisabete às 21:34
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Sexta-feira, 14 de Novembro de 2008

Quem instrumentaliza quem?

Já aqui disse que não aprovo protestos que recorram a armas de arremesso (ovos, tomates ou outra coisa qualquer) ou a insultos pessoais que visem a humilhação seja de quem for.

Sabe-se que, para além destes casos mais radicais, se gerou no país uma onda de protestos por parte de alunos de várias escolas.

Posso aceitar que a contestação dos Professores às políticas do Ministério da Educação, incentive, de algum modo, os alunos a imitá-los. 

O que não posso aceitar, de forma alguma, é que pessoas com responsabilidades no Ministério da Educação e no Governo venham insinuar que eles estão a ser instrumentalizados pelos Professores. Com base em mensagens anónimas recebidas pelos alunos, extrapola-se que estas são enviadas pelos adversários (ou inimigos), isto é, pelos Professores.

Se esses  senhores têm provas, que as mostrem. Se não têm, que se calem.

De outro modo, podemos concluir que estão de tal modo aflitos e perdidos  que lançam mão à calúnia, por falta de argumentos.

Assim sendo: Quem instrumentaliza quem?

publicado por Elisabete às 20:52
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 13 de Novembro de 2008

A desproporcionada Ministra

 

 

 

 

A Ministra da Educação perdeu, definitivamente, a noção daquilo que afirma. Segundo esta senhora, andaríamos 30 anos para trás se o seu (?) Modelo de Avaliação dos Professores fosse suspenso.

Percebe-se que a senhora considera estar a finalizar a obra levada a cabo pelo Ministério da Educação, nos últimos 30 anos, e se sente muito orgulhosa por isso.

Por mim, pode ficar com os "louros".

Mas... se, em matéria de Educação, pudéssemos recuar 30 anos, não seria mau de todo. Talvez ainda fôssemos a tempo de impedir o descalabro a que chegámos. Talvez os responsáveis pela Educação ainda fossem a tempo de compreender que alargar a escolaridade obrigatória não é (não pode ser!!!) diminuir a qualidade do Ensino.

Porque foi isso que aconteceu. As Escolas deixaram de ser locais de Cultura e Conhecimento, para se transformarem em estabelecimentos de caridade que fornecem diplomas a jovens sem qualificações, como prémio por lá se manterem. Assim os pais têm quem lhes tome conta dos filhos e estes até nem desgostam de frequentar os parques de diversões em que as Escolas se transformaram.

 

publicado por Elisabete às 19:29
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Quarta-feira, 12 de Novembro de 2008

15 de Novembro, um momento crucial da nossa luta

Colegas,

 

Estamos num momento crucial da nossa luta por uma escola pública de qualidade e pela requalificação da dignidade da nossa carreira.
Por isso, é fundamental estar na Manifestação de Professores, no próximo sábado, dia 15, para "marchar" do Marquês de Pombal a S. Bento.
Depois do estrondoso protesto de dia 8, não podemos compactuar com a prepotência e o autismo revelados pelos responsáveis da 5 de Outubro, durante e após essa manifestação histórica. Temos de dar um sinal claro de que não baixamos os braços.
Estar em Lisboa será um sacrifício redobrado para muitos. Mas em causa estão valores que superam esse sacrifício. Ou lutamos definitivamente contra o MONSTRO, que inclui, entre outras aberrações, o ECD e a divisão da classe em duas categorias, ou o nosso calvário, dele decorrente, será, no futuro, muito mais espinhoso e muito mais prolongado.
Ainda vamos a tempo. Ou lutamos agora, ou muito do que ainda se pode conseguir ficará irremediavelmente perdido!
 
A Manifestação de Professores, no dia 15 de Novembro, inicia-se com a concentração, às 14:00 horas, no Marquês de Pombal. Seguirá em desfile pela Rua Braamcamp, Largo do Rato, Rua de S. Bento e terminará com um plenário em frente da Assembleia da República.

Lembramos a todos os colegas que a manifestação está oficializada para o percurso referido e que, de acordo com a lei e e por notificação da Senhora Governadora Civil de Lisboa, apenas teremos de manter a distância de 100 metros do edifício da Assembleia da República.
 
Movimento de Mobilização e Unidade dos Professores,
in Blogue do MUP 
publicado por Elisabete às 22:59
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|

O regresso de Calimero

 

 

Sócrates acusa Alegre de estar sempre disponível para dar razão a todos "menos ao PS e ao Governo". (Lusa)

 

Por que será, Senhor Primeiro-Ministro?

 

 

publicado por Elisabete às 16:46
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

*mais sobre mim

*links

*posts recentes

* QUINTA DE BONJÓIA [PORTO]

* POMPEIA: A vida petrifica...

* JOSÉ CARDOSO PIRES: UM ES...

* PELA VIA FRANCÍGENA, NO T...

* CHILE: O mundo dos índios...

* NUNCA MAIS LHE CHAMEM DRÁ...

* ARTUR SEMEDO: Actor, galã...

* COMO SE PÔDE DERRUBAR O I...

* DÉCIMO MANDAMENTO

* CRISE TRAZ CUNHALISMO DE ...

* O CÓDIGO SECRETO DA CAPEL...

* O VOO MELANCÓLICO DO MELR...

* Explicação do "Impeachmen...

* CAMILLE CLAUDEL

* OS PALACETES TORNAM-SE ÚT...

* Tudo o que queria era um ...

* 1974 - DIVÓRCIO JÁ! Exigi...

* Continuará a Terra a gira...

* SETEMBRO

* SEM CORAÇÃO

* A ESPIRAL REPRESSIVA

* 1967 FÉ DE PEDRA

* NUNCA MAIS CAIU

* Alfama é Linda

* Por entre os pingos da ch...

* DO OUTRO LADO DA ESTRADA

* Não há vacina para a memó...

* Um pobre e precioso segre...

* Nada para mim. Portugal.

* Seis anos de divinos torm...

*arquivos

* Maio 2017

* Abril 2017

* Março 2017

* Fevereiro 2017

* Janeiro 2017

* Setembro 2016

* Junho 2016

* Abril 2016

* Novembro 2015

* Setembro 2015

* Agosto 2015

* Julho 2015

* Junho 2015

* Maio 2015

* Março 2015

* Fevereiro 2015

* Janeiro 2015

* Dezembro 2014

* Fevereiro 2014

* Janeiro 2014

* Dezembro 2013

* Novembro 2013

* Setembro 2013

* Agosto 2013

* Julho 2013

* Junho 2013

* Maio 2013

* Abril 2013

* Março 2013

* Fevereiro 2013

* Janeiro 2013

* Dezembro 2012

* Novembro 2012

* Outubro 2012

* Setembro 2012

* Agosto 2012

* Julho 2012

* Maio 2012

* Abril 2012

* Março 2012

* Janeiro 2012

* Dezembro 2011

* Novembro 2011

* Outubro 2011

* Setembro 2011

* Julho 2011

* Maio 2011

* Abril 2011

* Março 2011

* Fevereiro 2011

* Janeiro 2011

* Dezembro 2010

* Novembro 2010

* Outubro 2010

* Agosto 2010

* Julho 2010

* Junho 2010

* Maio 2010

* Abril 2010

* Março 2010

* Fevereiro 2010

* Janeiro 2010

* Dezembro 2009

* Novembro 2009

* Outubro 2009

* Setembro 2009

* Julho 2009

* Junho 2009

* Maio 2009

* Abril 2009

* Março 2009

* Fevereiro 2009

* Janeiro 2009

* Dezembro 2008

* Novembro 2008

* Outubro 2008

* Setembro 2008

* Agosto 2008

* Julho 2008

* Junho 2008

* Maio 2008

* Abril 2008

* Março 2008

* Fevereiro 2008

* Janeiro 2008

* Dezembro 2007

* Novembro 2007

* Outubro 2007

* Setembro 2007

* Agosto 2007

* Julho 2007

* Junho 2007

* Maio 2007

* Abril 2007

* Março 2007

* Fevereiro 2007

*pesquisar