Quinta-feira, 19 de Novembro de 2015

OS PALACETES TORNAM-SE ÚTEIS

Comuna Soldado Luís1.png

TOMADO DE ASSALTO UM PALACETE DESABITADO


 "A igualdade dos homens começa na igualdade das crianças"Comuna Soldado Luís2.png

Seguindo uma linha de actuação que desde há muito não deixa qualquer tipo de dúvidas, quanto às finalidades a atingir, a LUAR (Liga de União e Acção Revolucionária), ocupou ontem, para o povo, um prédio abandonado da Rua Morgado Mateus, transformando-o de imediato, numa Comuna Infantil Popular, a que deram o nome, por sugestão dos moradores dos bairros da zona, de Soldado Joaquim Luís, o militar assassinado em 11 de Março pelas tropas reaccionárias de Spínola. 

A acção foi programada com a antecedência que uma actuação deste tipo exige. As comissões de bairro da freguesia do Bonfim foram auscultadas. Militantes da organização vinham efectuando desde há dias um levantamento social da zona, chegando à indubitável conclusão de que era necessário instalar um infantário na freguesia. O prédio foi escolhido com a ajuda de moradores, a partir de informações que permitiram a selacção. 

Designado o local, grupos de elementos da LUAR estudaram a parte operacional do "assalto". Foram contactados médicos e enfermeiros. Confirmada a viabilidade da operação, foi escolhido o dia de ontem, à hora 10ª, para o accionar de toda a orgânica do grupo.

Em segundos, o prédio foi tomado.

Tinha sido aumentado o poder das crianças. A miudagem do Bonfim, tinha mais qualquer coisa de seu.

 

CRIAR PODER POPULAR

A LUAR não trabalha de improviso. As acções desenvolvidas são consequência de um profundo estudo operacional de cada segundo dos minutos de actuação e do avaliar consciente das possibilidades de apoio às posições assumidas. A intervenção do grupo começa na consciencialização das bases. Como tal, enquanto o grupo de intervenção tomava a casa de assalto, o grupo de propaganda distribuía pela zona da morada ocupada o seguinte comunicado:

"No dia 16 de Março, pelas 10 horas, foi ocupada pela LUAR e com o apoio imediato e activo da população local, a habitação há muito desocupada, situada na Rua Morgado Mateus, ao Campo 24 de Agosto, ex-sede do Grémio da Indústria de Curtumes.

"O objectivo é transformar esta magnífica casa inútil e ampla num infantário-creche comunal administrado exclusivamente pelos populares. Pretende-se com esta acção lançar as ideias básicas de um Serviço Nacional de Assistência à Criança, ao serviço das massas trabalhadoras mais desfavorecidas e controlado por elas.

"É evidente que acções como esta não terão significado se não se alargarem à população de todo o País, se não assumirem uma forma de poder popular. Para que o povo futuramente ganhe o poder, é necessário para já a nível político e económico haver um controlo efectivo por parte das massas trabalhadoras. É aqui que surge a necessidade dos poderes piopulares, significando isto que, em regime de exploração capitalista, quem comanda o poder não pode servir o povo. 

"É necessário que no local onde vivemos, nos bairros, nas fábricas, nas aldeias, nas cidades, nos locais onde trabalhamos, nos campos e nas empresas, se constituam comissões de moradores, de consumidores, de trabalhadores que, coordenados a nível nacional, procurem constituir uma alternativa ao poder burguês. A luta contra a exploração capitalista vai ser dura e prolongada. Neste momento, para que o plano de "Assistência Nacional à Criança" não morra, é preciso o apoio consciente, profissional e material, de todos quanto queiram lutar por uma sociedade socialista".

 

UM APELO DAS CRIANÇAS

O manifesto termina com um apelo das crianças do Bonfim, S. Lázaro, Campo 24 de Agosto, Fernão de Magalhães, S. Vítor, etc. lançado ao papel pelo punho de um militante da LUAR:

"Apelamos sobretudo para os camaradas dos hospitais, das comissões de trabalhadores dos estabelecimentos de Saúde e Assistência e das empresas ligadas aos ramos médicos e farmacêuticos, dos sindicatos dos médicos, dos enfermeiros, dos assistentes sociais; a todos os particulares que apoiem esta iniciativa popular."

E é obrigatório apoiar esta iniciativa realmente popular. Sem dogmatismos, sem discursos ou corta-fitas, homens do povo, ontem a meio da manhã, mostraram que estão efectiva e incondicionalmente ao serviço do povo. Sem a mira do voto (como se sabe a LUAR não participa nas eleições), sem rótulos liberalizantes, nem com gritos de liberdade, os homens da LUAR agiram como verdadeira força popular, ao serviço do povo, sem histéricas pragmáticas e democracia, sem cognominações de povo ou trabalhadores ou cristãos. Na unidade revolucionária, a LUAR continua a construir o socialismo.

 

"FARTOS DE CONVERSA ESTAMOS NÓS"

O sr. Alberto Correia é subchefe aposentado da P.S.P. Tem 79 anos. Mora na freguesia. Ontem, foi visitar "o prédio dos netos".

- Assim é que é. Olhe, os meus netos é que ficam a lucrar. Não tinham onde brincar, agora passam a vir para aqui. Sabe, eu sou do tempo da 1ª República. Também quando foi do falecido general Humberto Delgado, pus lá o meu voto por ele, mas cortaram-mo. Sou democrata velho. E fartos de conversa estamos nós. Assim é que é..."

Setenta anos mais nova, disse-nos a Margarida do Carmo Sá Azevedo:

- Acho que isto é uma coisa muito boa, e que pensaram em nós. Assim, é dar-nos também o poder.

Edite Manuela, de 7 anos, desenhava uma bonita casa nos painéis postos pela LUAR à disposição das crianças numa das salas do magnífico edifício de 5 pisos:

- O que penso disto é que é bom, porque ficamos com mais coisas.

Com um ano a menos, o Fernando Pedro acha que "é muito bom, porque posso encontrar aqui muitos amigos e é termos uma casa só para nós".

- Havia era de ter sido há mais tempo. - disse-nos o sr. Inácio dos Santos Sobrinho, nascido e criado na freguesia do Bonfim. - Estar uma casa destas aqui abandonada até é uma ofensa para os pobres. Veja lá o senhor que os tipos queriam vendê-la por vinte mil contos. Foi bem feito. As crianças merecem tudo.

 

UMA CASA PARA O POVO

Durante todo o dia de ontem, o edifício foi visitado por centenas de pessoas, dezenas de crianças que foram conhecer a sua nova casa.

- Nós tomámos a casa. Mas para a dar ao povo. Por isso o povo é que irá administrá-la e usufruir da organização médica que começamos a programar - disse-nos um dos responsáveis do núcleo do Norte da LUAR.

Após a actuação do Grupo de Intervenção, secundado por um grupo de Segurança, um grupo procedeu ao inventário das poucas coisas que se encontravam no interior do prédio abandonado. Como já referimos, um outro grupo, o de Propaganda, comunicou à população da zona que a partir daí possuiam uma Comuna Infantil Popular.

Hoje, começam já a funcionar os serviços médicos, através de alguns clínicos simpatizantes da LUAR, e de outros que imediato se solidarizaram com a ideia. Numa segunda fase, que se prevê seja o mais breve possível, a Comuna Infantil Popular será entregue a uma Comissão de Gestão constituída por moradores da zona, retirando-se então os elementos da LUAR, que continuarão, no entanto, activos e organizados, para novas acções de interesse geral. 

Podemos desde já adiantar que está num dos planos futuros da Liga de União e Acção Revolucionária, ocupar uma outra morada para aí instalar uma Comuna de Convívio para Velhos, onde além de um merecido repouso, os mais idosos encontrarão assistência médica e o carinho humano de que tanto precisam.

Mas para a concretização desta ideia e consolidação do projecto ontem iniciado, a LUAR, organização apartidária, progressista e sobretudo revolucionária, espera a ajuda de todos.

Comuna Soldado Luís3.png

 AS CRIANÇAS AGRADECEM:

As crianças da Comuna Infantil Popular agradecem ofertas de cobertores, colchões, brinquedos, material escolar, roupas, medicamentos, livros, géneros alimentícios, móveis e a colaboração de médicos, enfermeiros e assistentes sociais. Todas as ofertas poderão ser entregues na Rua Morgado Mateus, nº 137, ou na sede da LUAR, na Praça Marquês de Pombal.

P1160233.JPG

 

 

 

P1160234.JPG

                            

 

 

publicado por Elisabete às 18:05
link do post | comentar | favorito
|

*mais sobre mim

*links

*posts recentes

* QUINTA DE BONJÓIA [PORTO]

* POMPEIA: A vida petrifica...

* JOSÉ CARDOSO PIRES: UM ES...

* PELA VIA FRANCÍGENA, NO T...

* CHILE: O mundo dos índios...

* NUNCA MAIS LHE CHAMEM DRÁ...

* ARTUR SEMEDO: Actor, galã...

* COMO SE PÔDE DERRUBAR O I...

* DÉCIMO MANDAMENTO

* CRISE TRAZ CUNHALISMO DE ...

* O CÓDIGO SECRETO DA CAPEL...

* O VOO MELANCÓLICO DO MELR...

* Explicação do "Impeachmen...

* CAMILLE CLAUDEL

* OS PALACETES TORNAM-SE ÚT...

* Tudo o que queria era um ...

* 1974 - DIVÓRCIO JÁ! Exigi...

* Continuará a Terra a gira...

* SETEMBRO

* SEM CORAÇÃO

* A ESPIRAL REPRESSIVA

* 1967 FÉ DE PEDRA

* NUNCA MAIS CAIU

* Alfama é Linda

* Por entre os pingos da ch...

* DO OUTRO LADO DA ESTRADA

* Não há vacina para a memó...

* Um pobre e precioso segre...

* Nada para mim. Portugal.

* Seis anos de divinos torm...

*arquivos

* Maio 2017

* Abril 2017

* Março 2017

* Fevereiro 2017

* Janeiro 2017

* Setembro 2016

* Junho 2016

* Abril 2016

* Novembro 2015

* Setembro 2015

* Agosto 2015

* Julho 2015

* Junho 2015

* Maio 2015

* Março 2015

* Fevereiro 2015

* Janeiro 2015

* Dezembro 2014

* Fevereiro 2014

* Janeiro 2014

* Dezembro 2013

* Novembro 2013

* Setembro 2013

* Agosto 2013

* Julho 2013

* Junho 2013

* Maio 2013

* Abril 2013

* Março 2013

* Fevereiro 2013

* Janeiro 2013

* Dezembro 2012

* Novembro 2012

* Outubro 2012

* Setembro 2012

* Agosto 2012

* Julho 2012

* Maio 2012

* Abril 2012

* Março 2012

* Janeiro 2012

* Dezembro 2011

* Novembro 2011

* Outubro 2011

* Setembro 2011

* Julho 2011

* Maio 2011

* Abril 2011

* Março 2011

* Fevereiro 2011

* Janeiro 2011

* Dezembro 2010

* Novembro 2010

* Outubro 2010

* Agosto 2010

* Julho 2010

* Junho 2010

* Maio 2010

* Abril 2010

* Março 2010

* Fevereiro 2010

* Janeiro 2010

* Dezembro 2009

* Novembro 2009

* Outubro 2009

* Setembro 2009

* Julho 2009

* Junho 2009

* Maio 2009

* Abril 2009

* Março 2009

* Fevereiro 2009

* Janeiro 2009

* Dezembro 2008

* Novembro 2008

* Outubro 2008

* Setembro 2008

* Agosto 2008

* Julho 2008

* Junho 2008

* Maio 2008

* Abril 2008

* Março 2008

* Fevereiro 2008

* Janeiro 2008

* Dezembro 2007

* Novembro 2007

* Outubro 2007

* Setembro 2007

* Agosto 2007

* Julho 2007

* Junho 2007

* Maio 2007

* Abril 2007

* Março 2007

* Fevereiro 2007

*pesquisar