Quarta-feira, 13 de Fevereiro de 2008

Como é que aqui chegamos?

 

 

25 de Abril de 1974
 
Dia iluminado pela esperança da possível concretização dos sonhos há muito sonhados . Todos queríamos tudo e depressa. Era urgente substituir o país cinzento de alguns, pelo país colorido de todos.
 
Como o Sérgio Godinho e tantos outros, também eu acreditei na possibilidade de construirmos um país, de gente generosa e solidária, onde houvesse  “liberdade” e responsabilidade para “decidir", e  "paz, pão, educação, saúde, habitação", onde pertencesse ao povo a riqueza que produzisse. 
 
Decorridos quase 34 anos, é difícil negar que a maior parte destes sonhos se esfumou. E pergunto-me, quase sempre com as lágrimas nos olhos e o coração a sangrar, como foi possível chegarmos a este ponto, a este beco sem saída?
É verdade que a guerra colonial terminou; é verdade que já não há presos políticos; é verdade que, antes, eu não poderia dizer livremente o que penso neste blogue; é um facto que o nosso quotidiano é mais livre (abolidas certas proibições disparatadas que existiam); é verdade que tivemos governantes imbuídos dum espírito humanista, como Maria de Lourdes Pintasilgo ou António Arnaud, que nos transmitiram confiança no futuro; é verdade que a mulher adquiriu mais direitos e que a mentalidade mudou. Mas…
 
E o resto? Mudou? Para melhor? Para pior? As respostas serão, com certeza, muito diversas. A minha, hoje dia 13 de Fevereiro de 2008, é amarga: acho que mudou para pior. Continuo a ver, e cada vez mais, portugueses sem pão, sem casa (ou hipotecados por causa dela), sem emprego, a perderem o direito a uma saúde e a uma segurança social decentes. Quanto aos "vampiros", continuam a comer tudo e nem migalhas deixam.
 
Pergunto a mim própria qual a principal razão que nos levou a "isto". Só encontro uma resposta: porque nos demitimos do nosso papel de cidadãos e entregámos, paulatinamente, o poder a gente com uma visão economicista [onde só entram números  e cifrões, onde não têm lugar pessoas "de carne e osso", e sangue, e lágrimas], cuja única ideologia passa pelos seus próprios interesses e ambições pessoais.
    
Penso que isto já muitos portugueses perceberam. Só que a maioria ainda não compreendeu que os últimos Governos têm querido fazer dos professores o bode expiatório do descalabro da Educação em Portugal. Nunca ninguém teve o bom senso de parar para reflectir nos erros cometidos, nunca ninguém teve coragem para os assumir. Optou-se por "remendar" os buracos que iam surgindo, em vez de mudar o rumo.
E, afinal, errar é humano. Em períodos de grande agitação revolucionária, os erros são mais frequentes e também mais compreensíveis.
 
 Agora… Quanto tempo será preciso para inverter o processo? Quanto sofrimento, quanta vida roubada a professores e alunos é, ainda, preciso imolar às políticas "sem pés nem cabeça" implementadas pelo Ministério da Educação ao longo destes mais de 30 anos?
 
Apetece desistir, cruzar os braços... fugir!
Mas o espítiro de Abril e o amor a Portugal não morreram ainda, pelo menos em mim. Desenganem-se!  A cidadania que conquistei nesse dia claro dar-me-á legitimidade e força para lutar pelo futuro do meu País. E esse futuro passa, inevitavelmente, por uma educação de qualidade para as crianças e para os jovens.
 
Hoje, fico-me por aquele que considero o primeiro grande engano:
 
Partir-se do princípio de que nada havia de aproveitável no tipo de educação que tínhamos.
 
O maniqueísmo, quanto a mim, não é muito saudável. Porque leva ao fanatismo e à consequente cegueira.
Eu sei que, naquela altura, era difícil ser lúcido e admitir que havia coisas que deviam permanecer. Havia que arrasar tudo e construir de novo. Mas o passado e a experiência dos que nos antecederam não podem ser simplesmente elimanados. Mas, pronto!... até entendo. O que já não posso entender é que, passado um tempo razoável, os responsáveis não tenham tido o discernimento de “emendar a mão”. E não faltaram avisos por parte dos professores. Eu própria me insurgi, muitas vezes, contra a desorientação que se estava a desenhar. 
 
(Continua)

 

publicado por Elisabete às 23:57
link do post | comentar | favorito
|

*mais sobre mim

*links

*posts recentes

* QUINTA DE BONJÓIA [PORTO]

* POMPEIA: A vida petrifica...

* JOSÉ CARDOSO PIRES: UM ES...

* PELA VIA FRANCÍGENA, NO T...

* CHILE: O mundo dos índios...

* NUNCA MAIS LHE CHAMEM DRÁ...

* ARTUR SEMEDO: Actor, galã...

* COMO SE PÔDE DERRUBAR O I...

* DÉCIMO MANDAMENTO

* CRISE TRAZ CUNHALISMO DE ...

* O CÓDIGO SECRETO DA CAPEL...

* O VOO MELANCÓLICO DO MELR...

* Explicação do "Impeachmen...

* CAMILLE CLAUDEL

* OS PALACETES TORNAM-SE ÚT...

* Tudo o que queria era um ...

* 1974 - DIVÓRCIO JÁ! Exigi...

* Continuará a Terra a gira...

* SETEMBRO

* SEM CORAÇÃO

* A ESPIRAL REPRESSIVA

* 1967 FÉ DE PEDRA

* NUNCA MAIS CAIU

* Alfama é Linda

* Por entre os pingos da ch...

* DO OUTRO LADO DA ESTRADA

* Não há vacina para a memó...

* Um pobre e precioso segre...

* Nada para mim. Portugal.

* Seis anos de divinos torm...

*arquivos

* Maio 2017

* Abril 2017

* Março 2017

* Fevereiro 2017

* Janeiro 2017

* Setembro 2016

* Junho 2016

* Abril 2016

* Novembro 2015

* Setembro 2015

* Agosto 2015

* Julho 2015

* Junho 2015

* Maio 2015

* Março 2015

* Fevereiro 2015

* Janeiro 2015

* Dezembro 2014

* Fevereiro 2014

* Janeiro 2014

* Dezembro 2013

* Novembro 2013

* Setembro 2013

* Agosto 2013

* Julho 2013

* Junho 2013

* Maio 2013

* Abril 2013

* Março 2013

* Fevereiro 2013

* Janeiro 2013

* Dezembro 2012

* Novembro 2012

* Outubro 2012

* Setembro 2012

* Agosto 2012

* Julho 2012

* Maio 2012

* Abril 2012

* Março 2012

* Janeiro 2012

* Dezembro 2011

* Novembro 2011

* Outubro 2011

* Setembro 2011

* Julho 2011

* Maio 2011

* Abril 2011

* Março 2011

* Fevereiro 2011

* Janeiro 2011

* Dezembro 2010

* Novembro 2010

* Outubro 2010

* Agosto 2010

* Julho 2010

* Junho 2010

* Maio 2010

* Abril 2010

* Março 2010

* Fevereiro 2010

* Janeiro 2010

* Dezembro 2009

* Novembro 2009

* Outubro 2009

* Setembro 2009

* Julho 2009

* Junho 2009

* Maio 2009

* Abril 2009

* Março 2009

* Fevereiro 2009

* Janeiro 2009

* Dezembro 2008

* Novembro 2008

* Outubro 2008

* Setembro 2008

* Agosto 2008

* Julho 2008

* Junho 2008

* Maio 2008

* Abril 2008

* Março 2008

* Fevereiro 2008

* Janeiro 2008

* Dezembro 2007

* Novembro 2007

* Outubro 2007

* Setembro 2007

* Agosto 2007

* Julho 2007

* Junho 2007

* Maio 2007

* Abril 2007

* Março 2007

* Fevereiro 2007

*pesquisar