Quinta-feira, 1 de Maio de 2008

PÃO, TRABALHO, EDUCAÇÃO!

 

DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS DO HOMEM
ADOPTADA E PROCLAMADA PELA ASSEMBLEIA GERAL
DAS NAÇÕES UNIDAS
NA SUA RESOLUÇÃO 217A (III) DE 10 DE DEZEMBRO DE 1948
Artigo 23.º
1.    Toda a pessoa tem direito ao trabalho, à livre escolha do trabalho, a condições equitativas e satisfatórias de trabalho e à protecção contra o desemprego.
2.    Todos têm direito, sem discriminação alguma, a salário igual por trabalho igual.
3.    Quem trabalha tem direito a uma remuneração equitativa e satisfatória, que lhe permita e à sua família uma existência conforme com a dignidade humana, e completada, se possível, por todos os outros meios de protecção social.
4.    Toda a pessoa tem o direito de fundar com outras pessoas sindicatos e de se filiar em sindicatos para a defesa dos seus interesses.
Artigo 24.º
 
Toda a pessoa tem direito ao repouso e aos lazeres e, especialmente, a uma limitação razoável da duração do trabalho e a férias periódicas pagas.
 
Artigo 25.º
 
1.    Toda a pessoa tem direito a um nível de vida suficiente para lhe assegurar e à sua família a saúde e o bem-estar, principalmente quanto à alimentação, ao vestuário, ao alojamento, à assistência médica e ainda quanto aos serviços sociais necessários, e tem direito à segurança no desemprego, na doença, na invalidez, na viuvez, na velhice ou noutros casos de perda de meios de subsistência por circunstâncias independentes da sua vontade.

 

 

O mês de Maio é, para muitos de nós, símbolo de luta. Dos Trabalhadores pelo reconhecimento dos seus direitos, dos Estudantes que, na França em 68 ou em Portugal em 69, exigiram um Ensino e uma sociedade melhores para todos.

Hoje, mais do que nunca, é visível um ataque cerrado contra os direitos fundamentais.

Por isso, mais do que nunca, é preciso lutar contra o neoliberalismo e aqueles que o servem de forma acrítica e desumana.

OUTRO MUNDO É POSSÍVEL!

SE QUISERMOS...

publicado por Elisabete às 11:46
link do post | comentar | favorito
|
3 comentários:
De IBEL a 1 de Maio de 2008 às 17:41
Nós queremos outro mundo, mas eles não querem. E eles é que têm o dinheiro que tudo comanda.Nós temos ainda o sonho de querermos mudar o mundo. Em nós há ainda poesia e loucura saudável que nos distingue da "besta sadia, cadáver adiado que procria."Mas o futuro?
Gostei tanto dos "RECANTOS".
De IBEL a 1 de Maio de 2008 às 18:27
já cai de Maio Maduro
Na terra rasa do chão
Morreu Maio pobrezinho
Não tem direito a caixão.
De Elisabete a 2 de Maio de 2008 às 00:30
É verdade que, dada a situação que vivemos, hoje (e já no 25 de Abril) se devia ter feito manifestações gigantescas, que fizessem tremer o Governo. Tal não aconteceu e é pena. Parece que está tudo adormecido. Então, no que aos Professores diz respeito, não percebo o que se está a passar. Como é que tanta motivação desapareceu por causa da porcaria dum papel que os Sindicatos assinaram? Os Sindicatos, imprescindíveis, têm de perceber que não podem defraudar as legítimas expectativas e a vontade dos Professores.
Só temos aquilo que merecemos, Ibel! Ficamos sempre a meio caminho; não nos atrevemos a romper barreiras.
A luta promete ser dura e longa. No mínimo, façamos da nossa palavra uma ARMA.

Comentar post

*mais sobre mim

*links

*posts recentes

* QUINTA DE BONJÓIA [PORTO]

* POMPEIA: A vida petrifica...

* JOSÉ CARDOSO PIRES: UM ES...

* PELA VIA FRANCÍGENA, NO T...

* CHILE: O mundo dos índios...

* NUNCA MAIS LHE CHAMEM DRÁ...

* ARTUR SEMEDO: Actor, galã...

* COMO SE PÔDE DERRUBAR O I...

* DÉCIMO MANDAMENTO

* CRISE TRAZ CUNHALISMO DE ...

* O CÓDIGO SECRETO DA CAPEL...

* O VOO MELANCÓLICO DO MELR...

* Explicação do "Impeachmen...

* CAMILLE CLAUDEL

* OS PALACETES TORNAM-SE ÚT...

* Tudo o que queria era um ...

* 1974 - DIVÓRCIO JÁ! Exigi...

* Continuará a Terra a gira...

* SETEMBRO

* SEM CORAÇÃO

* A ESPIRAL REPRESSIVA

* 1967 FÉ DE PEDRA

* NUNCA MAIS CAIU

* Alfama é Linda

* Por entre os pingos da ch...

* DO OUTRO LADO DA ESTRADA

* Não há vacina para a memó...

* Um pobre e precioso segre...

* Nada para mim. Portugal.

* Seis anos de divinos torm...

*arquivos

* Maio 2017

* Abril 2017

* Março 2017

* Fevereiro 2017

* Janeiro 2017

* Setembro 2016

* Junho 2016

* Abril 2016

* Novembro 2015

* Setembro 2015

* Agosto 2015

* Julho 2015

* Junho 2015

* Maio 2015

* Março 2015

* Fevereiro 2015

* Janeiro 2015

* Dezembro 2014

* Fevereiro 2014

* Janeiro 2014

* Dezembro 2013

* Novembro 2013

* Setembro 2013

* Agosto 2013

* Julho 2013

* Junho 2013

* Maio 2013

* Abril 2013

* Março 2013

* Fevereiro 2013

* Janeiro 2013

* Dezembro 2012

* Novembro 2012

* Outubro 2012

* Setembro 2012

* Agosto 2012

* Julho 2012

* Maio 2012

* Abril 2012

* Março 2012

* Janeiro 2012

* Dezembro 2011

* Novembro 2011

* Outubro 2011

* Setembro 2011

* Julho 2011

* Maio 2011

* Abril 2011

* Março 2011

* Fevereiro 2011

* Janeiro 2011

* Dezembro 2010

* Novembro 2010

* Outubro 2010

* Agosto 2010

* Julho 2010

* Junho 2010

* Maio 2010

* Abril 2010

* Março 2010

* Fevereiro 2010

* Janeiro 2010

* Dezembro 2009

* Novembro 2009

* Outubro 2009

* Setembro 2009

* Julho 2009

* Junho 2009

* Maio 2009

* Abril 2009

* Março 2009

* Fevereiro 2009

* Janeiro 2009

* Dezembro 2008

* Novembro 2008

* Outubro 2008

* Setembro 2008

* Agosto 2008

* Julho 2008

* Junho 2008

* Maio 2008

* Abril 2008

* Março 2008

* Fevereiro 2008

* Janeiro 2008

* Dezembro 2007

* Novembro 2007

* Outubro 2007

* Setembro 2007

* Agosto 2007

* Julho 2007

* Junho 2007

* Maio 2007

* Abril 2007

* Março 2007

* Fevereiro 2007

*pesquisar