Segunda-feira, 12 de Maio de 2008

O Colégio de Santa Maria para a Ibel

BARCELOS

Casa de Santa Maria

Brasão

 

Deslocando-me, hoje, à terra que me viu nascer, trouxe de presente, para uma menina de bibe com o nome bordado e com os cabelitos enrolados em canudinho no alto da cabeça, fotografias das paredes dentro das quais ficou o seu primeiro “paraíso perdido”. Aqui aprendemos as primeiras letras e aqui ficaram guardadas algumas das nossas primeiras memórias.

 

 

 

 

publicado por Elisabete às 22:50
link do post | comentar | favorito
|
3 comentários:
De Ibel a 13 de Maio de 2008 às 16:31
Elisabete,
Só tenho pena que não tivesse visto a minha cara de manhã .E os meus olhos como duas fontes. Que mulher fantástica aí vai..Não consigo deixar de beber as imagens. E consigo mesmo ver a menina, embora as lágrimas continuem a descer em carreirinha. Um dia destes vou a Barcelos.Beijinho.E um GRANDE OBRIGADA.
De Elisabete a 14 de Maio de 2008 às 12:25
Quis fazer-lhe uma surpresa, Ibel, mas não queria emocioná-la tanto.
Fui, como costumo, ao cemitério e ver o meu 7º sobrinho-neto que acabou de nascer. Lembrei-me de fotografar umas coisinhas.
Barcelos tem edifícios bem bonitos e muita história. De vez em quando, sabe bem lá ir.
Beijinhos, menina sensível de bibe.
De Anónimo a 4 de Abril de 2011 às 16:41
É notável a importância que esta instituição teve para muitas pessoas. É emocionante saber que este espaço marcou e ainda marca o período mais fantástico da vida de uma pessoa "a infância"... só é pena é que deixem morrer esta escola de "sonhos e esperanças"...

Comentar post

*mais sobre mim

*links

*posts recentes

* QUINTA DE BONJÓIA [PORTO]

* POMPEIA: A vida petrifica...

* JOSÉ CARDOSO PIRES: UM ES...

* PELA VIA FRANCÍGENA, NO T...

* CHILE: O mundo dos índios...

* NUNCA MAIS LHE CHAMEM DRÁ...

* ARTUR SEMEDO: Actor, galã...

* COMO SE PÔDE DERRUBAR O I...

* DÉCIMO MANDAMENTO

* CRISE TRAZ CUNHALISMO DE ...

* O CÓDIGO SECRETO DA CAPEL...

* O VOO MELANCÓLICO DO MELR...

* Explicação do "Impeachmen...

* CAMILLE CLAUDEL

* OS PALACETES TORNAM-SE ÚT...

* Tudo o que queria era um ...

* 1974 - DIVÓRCIO JÁ! Exigi...

* Continuará a Terra a gira...

* SETEMBRO

* SEM CORAÇÃO

* A ESPIRAL REPRESSIVA

* 1967 FÉ DE PEDRA

* NUNCA MAIS CAIU

* Alfama é Linda

* Por entre os pingos da ch...

* DO OUTRO LADO DA ESTRADA

* Não há vacina para a memó...

* Um pobre e precioso segre...

* Nada para mim. Portugal.

* Seis anos de divinos torm...

*arquivos

* Maio 2017

* Abril 2017

* Março 2017

* Fevereiro 2017

* Janeiro 2017

* Setembro 2016

* Junho 2016

* Abril 2016

* Novembro 2015

* Setembro 2015

* Agosto 2015

* Julho 2015

* Junho 2015

* Maio 2015

* Março 2015

* Fevereiro 2015

* Janeiro 2015

* Dezembro 2014

* Fevereiro 2014

* Janeiro 2014

* Dezembro 2013

* Novembro 2013

* Setembro 2013

* Agosto 2013

* Julho 2013

* Junho 2013

* Maio 2013

* Abril 2013

* Março 2013

* Fevereiro 2013

* Janeiro 2013

* Dezembro 2012

* Novembro 2012

* Outubro 2012

* Setembro 2012

* Agosto 2012

* Julho 2012

* Maio 2012

* Abril 2012

* Março 2012

* Janeiro 2012

* Dezembro 2011

* Novembro 2011

* Outubro 2011

* Setembro 2011

* Julho 2011

* Maio 2011

* Abril 2011

* Março 2011

* Fevereiro 2011

* Janeiro 2011

* Dezembro 2010

* Novembro 2010

* Outubro 2010

* Agosto 2010

* Julho 2010

* Junho 2010

* Maio 2010

* Abril 2010

* Março 2010

* Fevereiro 2010

* Janeiro 2010

* Dezembro 2009

* Novembro 2009

* Outubro 2009

* Setembro 2009

* Julho 2009

* Junho 2009

* Maio 2009

* Abril 2009

* Março 2009

* Fevereiro 2009

* Janeiro 2009

* Dezembro 2008

* Novembro 2008

* Outubro 2008

* Setembro 2008

* Agosto 2008

* Julho 2008

* Junho 2008

* Maio 2008

* Abril 2008

* Março 2008

* Fevereiro 2008

* Janeiro 2008

* Dezembro 2007

* Novembro 2007

* Outubro 2007

* Setembro 2007

* Agosto 2007

* Julho 2007

* Junho 2007

* Maio 2007

* Abril 2007

* Março 2007

* Fevereiro 2007

*pesquisar