Terça-feira, 22 de Julho de 2008

Não posso adiar...

 

Não posso adiar o amor para outro século
não posso
ainda que o grito sufoque na garganta
ainda que o ódio estale e crepite e arda
sob as montanhas cinzentas
e montanhas cinzentas

Não posso adiar este braço
que é uma arma de dois gumes amor e ódio

Não posso adiar
ainda que a noite pese séculos sobre as costas
e a aurora indecisa demore
não posso adiar para outro século a minha vida
nem o meu amor
nem o meu grito de libertação

Não posso adiar o coração.
 
 
António Ramos Rosa

 

publicado por Elisabete às 23:57
link do post | comentar | favorito
|
9 comentários:
De fernanda a 23 de Julho de 2008 às 23:40
Maravilhoso

Não deixe passar...há apenas uma vida.
Não perca o amor, mergulha como se não houvesse outra chance. <
Quebre as amarras que te prendem ao cais.
SBR>
De Anónimo a 23 de Julho de 2008 às 23:47
Passei por Petrarca e por Cesário, demorei-me em Degas, pintor impressionista, para dançar um balllet branco com pernas de cisne; passeei pela Apúlia para ver uma menina que sonhou SER, como outras meninas, indiferente às batotas do destino; entrei no Pérola da Avenida onde casou a minha prima Céu com o Caseiro; respirei o cheiro da maresia, observei o novelo do nevoeiro,revi quadros humanos de pescadores trágicos de mar e de faina e pensei" Não posso adiar o amor para outro século/ Não posso", Elisabete. Por isso aqui estou. Beijo
De Anónimo a 24 de Julho de 2008 às 00:01
Apesar de ... deixei para o outro século, e a dúvida começa a me incomodar.
Mesmo assim estou aqui...na esperança de que me convençam que ainda há tempo a rever.
De Ibel a 24 de Julho de 2008 às 01:19
O segundo anónimo é Ibel. O terceiro, pelo estilo trevido, penso que sei de quem é, mas prefiro não arriscar. Mais um beijinho, querida amiga.
De Clara a 24 de Julho de 2008 às 03:06
Anónimo ou anónima , não importa, melhor não adiar o amor para outro século. Desejaria mesmo poder convencer a quem fosse a não perder tempo. Por fim nos arrependemos do que deixamos de fazer de facto, talvez este seja o maior pecado nesta existência. Já brotaram muitos massacres por conta de religião, ou crenças, mas este é ainda maior, este pessoal. Temer a vida em sua plenitude. Vá arrisque com tudo no desconhecido. Beijos a Elisabete.
De Elisabete a 25 de Julho de 2008 às 12:15
Para os comentadores anónimos/as ou identificados/as, as palavras do "mestre" Pablo Neruda:
Morre lentamente...
quem evita uma paixão e seu redemoinhos de emoções
justamente as que resgatam o brilho dos olhos e os corações aos tropeços

Morre lentamente...
quem não arrisca o certo pelo incerto
para ir atrás dum sonho

Um abraço e sejam felizes!

P.S. Ibel, já está a fazer falta. Continuação de boas férias!
De Ibel a 25 de Julho de 2008 às 20:18
Já voltei, querida amiga! Gostei do que escreveu sobre o Pablo Neruda. Fez-me pensar...
De Cristina a 26 de Julho de 2008 às 01:49

Minha doce Elisabete...esse tema é mesmo para nos colocar a pensar.beijos querida
De Elisabete a 27 de Julho de 2008 às 22:33
Pensar e agir, queridas amigas.

Abraços

Comentar post

*mais sobre mim

*links

*posts recentes

* QUINTA DE BONJÓIA [PORTO]

* POMPEIA: A vida petrifica...

* JOSÉ CARDOSO PIRES: UM ES...

* PELA VIA FRANCÍGENA, NO T...

* CHILE: O mundo dos índios...

* NUNCA MAIS LHE CHAMEM DRÁ...

* ARTUR SEMEDO: Actor, galã...

* COMO SE PÔDE DERRUBAR O I...

* DÉCIMO MANDAMENTO

* CRISE TRAZ CUNHALISMO DE ...

* O CÓDIGO SECRETO DA CAPEL...

* O VOO MELANCÓLICO DO MELR...

* Explicação do "Impeachmen...

* CAMILLE CLAUDEL

* OS PALACETES TORNAM-SE ÚT...

* Tudo o que queria era um ...

* 1974 - DIVÓRCIO JÁ! Exigi...

* Continuará a Terra a gira...

* SETEMBRO

* SEM CORAÇÃO

* A ESPIRAL REPRESSIVA

* 1967 FÉ DE PEDRA

* NUNCA MAIS CAIU

* Alfama é Linda

* Por entre os pingos da ch...

* DO OUTRO LADO DA ESTRADA

* Não há vacina para a memó...

* Um pobre e precioso segre...

* Nada para mim. Portugal.

* Seis anos de divinos torm...

*arquivos

* Maio 2017

* Abril 2017

* Março 2017

* Fevereiro 2017

* Janeiro 2017

* Setembro 2016

* Junho 2016

* Abril 2016

* Novembro 2015

* Setembro 2015

* Agosto 2015

* Julho 2015

* Junho 2015

* Maio 2015

* Março 2015

* Fevereiro 2015

* Janeiro 2015

* Dezembro 2014

* Fevereiro 2014

* Janeiro 2014

* Dezembro 2013

* Novembro 2013

* Setembro 2013

* Agosto 2013

* Julho 2013

* Junho 2013

* Maio 2013

* Abril 2013

* Março 2013

* Fevereiro 2013

* Janeiro 2013

* Dezembro 2012

* Novembro 2012

* Outubro 2012

* Setembro 2012

* Agosto 2012

* Julho 2012

* Maio 2012

* Abril 2012

* Março 2012

* Janeiro 2012

* Dezembro 2011

* Novembro 2011

* Outubro 2011

* Setembro 2011

* Julho 2011

* Maio 2011

* Abril 2011

* Março 2011

* Fevereiro 2011

* Janeiro 2011

* Dezembro 2010

* Novembro 2010

* Outubro 2010

* Agosto 2010

* Julho 2010

* Junho 2010

* Maio 2010

* Abril 2010

* Março 2010

* Fevereiro 2010

* Janeiro 2010

* Dezembro 2009

* Novembro 2009

* Outubro 2009

* Setembro 2009

* Julho 2009

* Junho 2009

* Maio 2009

* Abril 2009

* Março 2009

* Fevereiro 2009

* Janeiro 2009

* Dezembro 2008

* Novembro 2008

* Outubro 2008

* Setembro 2008

* Agosto 2008

* Julho 2008

* Junho 2008

* Maio 2008

* Abril 2008

* Março 2008

* Fevereiro 2008

* Janeiro 2008

* Dezembro 2007

* Novembro 2007

* Outubro 2007

* Setembro 2007

* Agosto 2007

* Julho 2007

* Junho 2007

* Maio 2007

* Abril 2007

* Março 2007

* Fevereiro 2007

*pesquisar